Pages

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Siempre tan amigas, siempre tan rivales!

Loira, linda e popular. Quase uma barbie, mas em tamanho real. Todos os meninos a desejam e todas as meninas desejam ser ela. Atenção, convites, bajulação, pura rotina. Não é fácil conviver com alguém que é o centro das atenções na maior parte do tempo e nem se esforça para isso. Enjooa, cansa e, muitas vezes, dá aquela inveja enorme. Bate aquela raiva e você se pergunta: porque ela e não eu? E ai você encana, passa a se desvalorizar, a achar que o problema é você. Tem vontade de esganar a pobre coitada, como se a culpa fosse dela. Mas ai você lembra que ela é sua amiga e, disso você não pode reclamar. Ela é linda, mas sempre te dá dicas de beleza. Ela tem um guarda roupa MARA, mas sempre te empresta o que você quiser. Ela é convidada pra tudo, mas só vai se você for junto. Você também percebe que ela não é boa em tudo. Ela arrasa em matemática, mas não é tão boa assim na aula de português. Ela parece desfilar quando anda, mas não consegue coordenar os movimentos na hora de dançar. E ai você percebe que você é quem arrasa no português e manda super bem na dança e que, as pessoas, te valorizam por aquilo e gostam de você assim. Você repara que, enquanto você queria ser tão perfeitinha quanto ela, ela queria ser tão normal quanto você. Definitivamente, você entende que ninguém é perfeito e que todo mundo é único e, portanto, um complemento do alheio. Você percebe que é tão linda e popular quanto ela, mas de um jeito só seu! E ai você fecha seu livrinho de "Como destruir sua amiga linda em dez dias" e abre um sorriso e o seu coração para acolher aquela perfeitinha que, no fundo, você ama demais e não sabe viver sem.

Pauta para o TDB ;*

Um comentário:

N. disse...

Foda! Sem melhor definição...