Pages

domingo, 22 de novembro de 2009

E daí se ele for?

Criticaram porque o Cebolinha falava errado, porque o Cascão não tomava banho, porque o Luca era um cadeirante, porque o Chico Bento era caipira, porque a Mônica abusava da violência. Reclamaram quando os gibis viraram mangá e quando histórias secundárias, como a da Tina, ganharam o próprio quadrinho. Agora a moda é questionar a entrada de um personagem possivelmente gay nas páginas das revistinhas. Sempre que se mexe nessa ferida da sociedade há motivos para discussões calorosas: o preconceito com o diferente. Ninguém aceita muito o que "foge dos padrões" e, na minha opinião, foi isso que o Maurício fez a vida inteira e só confirmou com o Caio. Não acho que ele tenha querido gerar toda essa polêmica, nem ganhar dinheiro em cima disso ou promover a revista da Tina. Era só um meio de tentar ensinar desde cedo que não tá com nada excluir alguém pela opção sexual ou qualquer outra diferença. Não vejo mau nenhum nisso, muito pelo contrário. Torço para que o Caio ganhe cada vez mais espaço na revista e se revele abertamente como gay.


* Post para o site do TDB

6 comentários:

Luísa choonps disse...

concordo. mas ao meu ver, o que e' diferente encomoda aqueles que sao 'iguais'

os qe criticam, na verdade sao a mesma coisa, monotonos e indiferentes.

adorei *-*

Tiêgo disse...

Ai, Tay, adorei!
Mas creio que o pessoal gosta mesmo dessas coisas polêmicas. Taí a Geisy Arruda como exemplo!
É quer saber de uma coisa? O Mauricio tá certíssimo em inovar nas suas HQ's; assim como nos mangás - que eu gostei - , aprovei a mudança do mestre dos quadrinhos. Sem pre vou adorar seu estilo e nnão vai ser por causa de um simples personagem gay que eu vou deixar de gostar. Pelo contrário, gosto ainda mais dele!

Beijobeijo, Tay :*/ te amo ♥

Bruna Rodrigues disse...

Eu acho que isso nem deveria mais gerar tanta polêmica assim. Mas pelo visto homossexualidade ainda choca.




bjo

Agatha disse...

Acho que devemos deixar de lado o preconceito e começar a analisar as pessoas pelo carater e não pela sexualidade.


Um beijo.

issamu disse...

O homosexualismo está tão presente em nossas vidas quanto a pobreza e degradação ambiental.

Infelizmente, fingimos que não acontece e que não é conosco.

Vitor Renna disse...

Nossa, nao sabia disso... Cada dia o preconceito perde mais espaço... mas ainda me envergonha a homofobia no meu país...